Notícias

Sob escolta da Marinha, balsa com tanque de oxigênio chega a Manaus

Chegou neste sábado (06), ao Porto Encontro das Águas, em Manaus, no Amazonas, balsa com tanque com 90 mil m³ de oxigênio, sob escolta do Navio Patrulha Roraima, da Marinha. O insumo atenderá pacientes acometidos pelo novo coronavírus nos hospitais da capital amazonense. Essa é a maior carga de oxigênio líquido já transportada por vias fluviais no país, equivalente a 9 mil cilindros de oxigênio, segundo a empresa White Martins.

md 33

O percurso iniciou em Santos, São Paulo, quando o Navio-Patrulha Apa, também da Marinha, levou o tanque vazio para Barcarena, no Pará, no dia 19 de janeiro. Dia 26, nesse município paraense, o equipamento foi transferido para uma balsa e seguiu para Belém, onde foi preenchido com 90 mil m³ de oxigênio líquido da empresa White Martins, pesando cerca de 180 toneladas. Lá, o Navio Patrulha Roraima iniciou a escolta até Manaus. O tempo da travessia a partir desse município foi de quatro dias.

De acordo com o Comandante do navio, Capitão de Corveta Gabriel Moraes, a escolta teve como papel principal evitar interferências de outras navegações à navegação da balsa no trecho do Rio Amazonas.“Por se tratar de um cilindro de peso muito elevado, a todo instante buscou-se evitar guinadas bruscas, para não permitir o mínimo deslocamento do cilindro", explicou.

Ele informa ainda que devido às boas profundidades do rio Amazonas nesse período, o navio e a balsa caminharam com segurança até o destino.
"Durante todo o deslocamento foram observadas apenas pancadas de chuva isoladas no decorrer dos dias, que não afetaram a visibilidade e não trouxeram riscos a realização de uma navegação segura", pontuou o Comandante Gabriel Moraes.

A operação para levar o tanque até Manaus também contou com o apoio das empresas Petrobras, Santos Brasil, Ecovias e Companhia Docas do Pará (CDP).

Por Mariana Alvarenga

Foto: Marinha do Brasil